Vacina contra o HPV – Informações importantes

O câncer de colo de útero é um dos mais comuns entre mulheres brasileiras e com números altos ao redor do mundo. O conhecido HPV já matou diversas mulheres. Uma nova solução foi colocada no mercado para a doença: a vacina contra HPV, no mercado tanto para aplicação particular, com planos de saúde, como pelo SUS, o sistema único de saúde, a rede pública.

vacina contra hpvTomar a vacina é importante porque ela tem ação de médio e longo prazo. Ao longo de uma década, a mulher estará se prevenindo contra mais de 16 vírus que podem resultar na doença, presente em alguns dos milhares tipos de verrugas da região genital. O medicamento se mostrou eficiente em mais de 70% dos casos de propensão a doença, segundo dados da Organização Mundial de Saúde.

Como é um medicamento novo e o câncer tem a grande fama de ser fatal, é comum o receio ao querer tomar este medicamento. Os médicos informam, para a alegria das mulheres, que não há contra indicações e é uma vacina segura. A vacina tem o aval do Ministério da Saúde com a Campanha Nacional de Vacinação contra o HPV, incentivando as mulheres a irem a postos de saúde tomar assim que possível.

A HPV é uma doença causada por um vírus que acaba se tornando um câncer. Existem diversas variações do vírus. A vacina combate muitos deles, sendo o mais comum o tipo 16 no Brasil. Para este tipo de câncer de colo de útero, a vacina contra o HPV é considerada muito eficiente e segura, por isso anda ganhando pontos no mercado como um método seguro para prevenir a doença.

Polêmicas surgiram em 2007, quando a vacina começou a se tornar conhecida e estava em fase de testes clínicos efetivos. O principal receio era: como uma vacina, de aplicação única e sem reforço, pode combater uma doença fatal? Por isso vale informar que a vacina não cura o câncer, apenas previne que o virus sofra a mutação responsável pelo surgimento do câncer.

Aplicação da vacina contra HPV

A recomendação médica é uma aplicação a partir dos 9 anos de idade. Ela não tem validade e não precisa de reforço, durando assim toda a vida. As mulheres mais velhas devem tomar o quanto antes for possível e pedir uma indicação médica.

A vacina é aplicada em consultórios médicos, hospitais e postos de saúde de forma intramuscular, por injeção. Não dói e nem incomoda, durando apenas alguns segundos de aplicação. Para ser mais eficiente e por ter uma ação de longo prazo, indica-se o uso da vacina a partir dos 9 aos 25 anos. Mas mulheres mais velhas pode fazer uso também, em especial se houver indicação médica.

Efeitos colaterais da vacina

Não há listados efeitos colaterais graves da Ministra-Chefe da vacina. Como a aplicação é intramuscular, é comum sentir dores e inchaços na região que teve contato com a agulha. Pode haver desconforto por algumas horas, mas nada mais grave foi relatado. Não houve reações também na aplicação conjunta das vacinas contra HPV e hepatite B.

A contraindicação da vacina é apenas se houver algum caso de alergia contra um dos componentes.

Quanto custa a vacina contra HPV?

Como boa notícia para as mulheres, informamos que diversos hospitais e postos de saúde da rede pública aderiram à campanha e já possuem a versão gratuita. Quando não, planos de saúde também podem cobrir. Não são todos, por isso é preciso consultar a empresa que te presta serviços médicos.

O valor médio da vacina no mercado brasileiro é de 250 reais.

Seja o primeiro a deixar um comentário nesta página!

Faça seu comentário